ANCIÃOS OU PRESBÍTEROS?
Atos 20:17-28


Introdução
- Muito bem, tendo avaliado os dois primeiros ministérios dos cinco relatados pelo apóstolo Paulo, vamos entender a função de presbítero no seio da igreja de hoje.
- É importante a análise desta função na igreja primitiva e como a palavra que designa este ministério foi usada, a fim de evitarmos erros em nossos ministérios.
- O presbítero que for estudar esta matéria precisa ter humildade para entender o assunto e evitar paixões sobre o assunto. O mais importante é a verdade e ela sempre nos liberta. Conhecer a verdade de Deus é altamente sério. Nunca podemos nos deter nas verdades humanas, pois a verdade celestial é infinitamente melhor.
- Vamos, então, estabelecer um critério, são boas as discussões que podemos ter sobre o assunto, mas é importante que sigamos com a visão de nosso ministério, quando ele procura fundamentar sua posição na Palavra de Deus.


1) Origem e Significado do Nome
No Novo Testamento, onde vemos a aplicação da palavra presbítero, podemos enumerar a quantidade de vezes que a palavra aparece. Vamos usar duas versões: a Revista e Atualizada no Brasil, da SBB – RA; e a Revista e Corrigida da antiga Imprensa Bíblica Brasileira, que agora também é adotada pela SBB – RC.

a)  Na RA a palavra presbítero(s), traduzido assim aparecem 18 vezes e a mesma palavra traduzida como ancião(s) aparece 44 vezes. A palavra bispo(s) traduzindo a palavra epíscopo – episkopov – aparece 5 vezes;

b)  As mesmas palavras na versão RC são computadas assim: presbítero(s) – 7 vezes, ancião(s) – 57 vezes. A palavra bispo(s) aparece 5 vezes também.

c)  Somando os dados vemos que a mesma palavra grega que é traduzida de dois modos é contada assim: presbítero/ancião – RA – 62 vezes // RC – idem – 64.

d)  A palavra grega presbítero é presbuterov. Não é usada exclusivamente no NT, pois a versão grega do VT (LXX) traduziu a palavra Nqz – zachen – como ancião ou mesmo velho. Em alguns casos do VT ela é usada para designar aqueles anciãos que faziam parte da liderança e dos tribunais do povo de Israel – Dt 22: 13-21.

e)  Os principais oficiais nas igrejas do NT, depois dos 5 ministérios, eram chamados bispos ou anciãos. “Que os apelativos ‘bispos’, ‘presbíteros’(ou ancião) e ‘pastor’ designam o mesmo ofício e ordem de pessoas, pode ser visto de At 20:17-28; Fl 1:1; 1 Tm 3:1,8; Tito 1:5,7; 1 Pd 5:1,2” (Strong).

f)   A primeira objeção plausível à identidade de bispos e anciãos foi a avançada por Calvino baseado em 1 Tm 5:17. Mas em vez de mostrar que os termos designam dois ofícios, esta passagem mostra que um ofício envolvia duas espécies de trabalho: ensinar e reger ou superintender.

g)  Alguns ocupantes do ofício eram mais felizes em um do que no outro, sendo o ensino considerado como a função mais elevada do ofício. As passagens seguintes mostram que ensinar e superintender pertenciam ao mesmo individuo: At 20:28-31; Ef 4:11; Hb 13:7; 1 Tm 3:2. A pluralidade de anciãos ou bispos nas igrejas do Novo Testamento era incidental e não é cabível em todas as igrejas; a saber, uma pluralidade de anciãos não é essencial à existência de uma igreja neo testamentária. Foram o tamanho e a escassez das igrejas e as grandes expansões vagas que deram caso a pluralidade de anciãos


2) Entendendo Funções

a)  Observando alguns textos da Palavra de Deus podemos entender como e onde atuam os presbíteros.

b)  Em Atos 15: 6, 22, 23 lemos a atuação dos apóstolos e dos presbíteros. Percebemos nitidamente a função dos presbíteros como parte da equipe de líderes e conselheiros naquela circunstância. É claro que podemos deduzir que ali estão profetas (Judas e Silas), mestres etc. Porém foi relacionada toda essa gente dentro do item “presbítero”.

c)  Em I Pedro 5: 1-2 lemos a exortação de Pedro. Embora apóstolo ele se coloca na condição de presbítero, designando que os presbíteros se encaixam na categoria de líderes e que claramente a palavra líder e presbítero pode ser tranquilamente trocada.

d)  Com isto, entendemos que o presbítero é a nomenclatura de um líder. Mais adiante vamos especificar o que faz o presbítero. Porém entendamos, dentro deste ponto de vista que presbíteros são: apóstolos, profetas, evangelistas, pastores, mestres, administradores, conselheiros.
ð O bispo e o presbítero são distintos e semelhantes. Presbítero é a função daquele que superintende, administra dentro de uma função e o bispo é aquele que coordena as várias funções. O bispo coordena os vários presbíteros, sendo ele, portanto, um presbítero-mor, daí “bispo”. Isto posto afirmamos: todo bispo é um presbítero, mas nem todo presbítero é bispo. Vamos ver isto mais adiante dentro da função de pastor.

e)  Com isto devemos entender que um conselheiro é um presbítero, mas isto não quer dizer que ele é pastor. Um administrador é um presbítero, mas isto não quer dizer que ele é evangelista. Assim, afirmamos que todo pastor é um presbítero, mas nem todo presbítero é pastor.

f)    Um presbítero pode “estar” pastor, pois como vemos Paulo e Pedro falando (Atos20:17,28 e 1 Pedro 5:1,2) eles pastoreiam, quando necessário e oportuno. Mas nem todo presbítero pode “estar” pastor. Ele pode estar apenas na função de conselheiro e/ou administrador.

g)  A igreja primitiva adotou a figura do presbítero em vários sentidos. Um destes modos é para designar aqueles que auxiliam os apóstolos e/ou os 5 ministérios. Digno de nota é o fato de que um diácono nunca fará parte do presbitério, porque o presbitério é o corpo de ministros de uma igreja.


3) Os Presbíteros hoje e os Presbitérios

a)  É preciso entender o significado e a função de um presbitério. Ele é a reunião dos vários ministros estabelecidos na igreja de Jesus, afora os diáconos. Algumas igrejas de hoje os incluem no presbitério, mas isto não é um fato bíblico esclarecedor.

b)  Como vimos, pode e deve haver presbíteros que não sejam pastores, ou evangelistas ou um dos cinco. Eles são reconhecidos como “anciãos” do povo... sábios conselheiros. Assim deve ser nosso entendimento quanto àqueles que são intitulados na igreja de presbíteros. Eles podem ocupar uma função pastoral, mas o farão por designação dos apóstolos e não por si mesmos. De novo nos reportamos a Atos 20: 17-28.

c)  Se fôssemos fazer uma comparação dos presbíteros de fato na igreja apostólica de hoje com a hierarquia do exército faríamos assim:

Exército – Excluindo o Capitão
Oficial Subalterno
Oficial Superior
Oficial General
1º Tenente
Coronel
General de Exército
2º Tenente
Tenente-Coronel
General de Divisão
Aspirante
Major
General de Brigada


Presbitério da Igreja
Oficial Subalterno
Oficial Superior
Oficial General
Presbíteros
(Conselheiros e
Administradores)
Bispos
Apóstolos
Profeta, Evangelista,
Pastor, Mestre

d)  Um presbítero que ocupa uma função administrativa e é um superintendente, sua missão nunca é superior a qualquer um dos 5 ministérios, a menos que ele tenha recebido o chamado de Cristo para atuar lá. Para tal precisa ser reconhecido pela igreja e pelos seus ministros assim.

e)  Sempre precisamos entender a diferença entre função e ofício. Presbítero é função ministerial e ministério quíntuplo é ofício. Um presbítero é aquele conselheiro, intendente que participa do presbitério e por isto é chamado de presbítero, mas deve aprender a reconhecer os ministros ordenados e ungidos por Cristo. “O presbítero, como o conhecemos hoje é aquele que foi reconhecido e ordenado como tal pela igreja, mas os que fazem parte dos 5 ministérios são ungidos, separados, consagrados por Cristo, reconhecidos e ordenados pela igreja”... diferente, não!?

f)    Do mesmo modo devemos entender que os cargos na igreja são funções e não ofícios. Ofício é aquilo que aquela pessoa é e não está. Uma pessoa que é presbítero hoje, pode não o ser amanhã por determinação dos apóstolos ou da igreja, mas os 5 ministérios extrapolam a igreja local. Ser presidente, vice-presidente ou secretários são funções e não ofícios. Os ofícios sempre são superiores às funções. Uma função estatutária só tem a finalidade corporativa, empresarial e transitória. Os ofícios estão acima de tudo isto, por isto um ministro (dos 5) deve ser honrado pelos presbíteros, isto deve ocorrer sempre.

g)  Observe este fluxograma:

Presbitério da Igreja



Apóstolos



Bispos
Profetas, Evangelistas
Pastores, Mestres



Presbíteros




Conclusão
            No próximo estudo vamos estudar como as mulheres se inserem nos ministérios e na liderança da igreja. Por ora lhes desafio a estudarem Gênesis 1: 26-28 e avaliar como Cristo resgatou a mulher ao seu posto de igual ao homem na liderança da igreja de Cristo.

Nenhum comentário: