E ELE MESMO DEU UNS PARA... PASTORES

Atos 20: 17, 28 e I Timóteo 3: 1-7


Introdução
- Se você está acompanhando os estudos, já percebeu que estamos seguindo níveis mais acima, dentro do assunto ministérios. Quero que você principie um momento de reflexão sobre o tema.
- Vamos agora trabalhar com o assunto daqueles que trabalham apascentando ovelhas. Dentro deste assunto vamos esclarecer o papel do ofício de pastor e as funções dos presbíteros e bispos.
- Neste ponto vamos esclarecer as exigências para o trabalho do pastor e ao mesmo tempo veremos alguns presbíteros que pastoreiam e alguns pastores que são bispos ou o contrário?
- Quem melhor apresentou conteúdo sobre a nobre missão de pastorear foi o apóstolo Paulo, embora Jesus tenha solicitado a Pedro para apascentar os seus cordeirinhos. Jesus é o melhor exemplo de pastor, mas Paulo traduz didaticamente o que Jesus fez e o que devemos fazer.


1) Significado de Pastor
a)  Em João 10 Jesus usa bastante a palavra pastor para aplicar a ele e aos falsos pastores. Leiamos algumas das passagens deste capítulo que usa “pastor” nestas aplicações.

b)  A palavra pastor, no NT é assim apresentada:
poimhn - poimen
ð  "vaqueiro, especificamente pastor
i)      na parábola, aquele a cujo cuidado e controle outros se submeteram e cujos preceitos eles seguem
ii)    Metaforicamente é:
a- oficial que preside, gerente, diretor, de qualquer assembléia: descreve a Cristo, o Cabeça da igreja
b- dos supervisores das assembléias cristãs
iii)  As tarefas do pastor no oriente próximo eram: ficar atentos aos inimigos que tentavam atacar o rebanho; defender o rebanho dos agressores; curar a ovelha ferida e doente; achar e salvar a ovelha perdida ou presa em armadilha; amar o rebanho, compartilhando sua vida e desta forma ganhando a sua confiança
iv)  Durante a II Guerra Mundial, um pastor era um piloto que guiava outro piloto, cujo avião estava parcialmente danificado, de volta \a base ou porta-aviões, voando lado a lado para manter contato visual".
(Comentários de Strong)


2) Bispos ou Pastores?
a)  Lendo, comparativamente Atos 20: 17 e 28, vemos que os presbíteros que Paulo chamou exerciam um bispado, porque no caso Paulo diz que eles apascentam o rebanho de Deus. Vejamos que eles apascentam, não porque são presbíteros, mas porque são bispos.

b) I Pedro 5: 1-2 não usa a palavra bispo, mas apenas presbítero para solicitar que apascentem o rebanho de Deus com cuidado, indicando que sua compreensão do presbiterato era de pessoas que apascentam, sem a necessidade de chamá-los bispos. Porém, isto não quer dizer que Pedro não os chamasse assim, até porque em I Pedro 2: 25 ele diz que Jesus é Pastor e Bispo de nossas almas.

c)  Vamos ler algumas passagens bíblicas que nos falam de presbíteros ou bispos que apascentam.
ð Já lemos Atos 20: 17,28, I Pedro 2: 25 e 5:1-2, 4; vejamos então...
ð  I Timóteo 3: 1-7 // Tito 1: 5-9
ð Hebreus 13:7, 17, 20 e João 10: 2, 11-16

d)  Como fizemos em um estudo passado sobre presbítero e bispo, façamos agora quanto ao ministro de nome “pastor”. Na versão RAB encontramos a palavra pastor(es) 19 vezes e na RCB 20 vezes. As diferenças entre uma e outra são apenas: Hebreus 13: 7,17 e Judas 1: 12 - compare - que somente nestas e em Efésios 4:11 é usada a palavra pastor com o significado que conhecemos hoje. Porém, somente em Efésios a palavra pastor está também no grego.

e)  Percebemos muito bem no NT que o ministério pastoral de Efésios 4:11, está aplicado a presbíteros e a bispos e mais especialmente a este. Pedro diz que Jesus é Pastor e Bispo de nossas almas. Nos evangelhos ele fala de pastor referindo-se a ele ou o aplica a uma situação figurativa. Somente em Jesus entendemos o pastor tal como conhecemos hoje. Jesus, no evangelho de João, recomenda o apóstolo Pedro que apascente as suas ovelhas. Nas demais passagens bíblicas o apascentar é aplicado a bispo.

f)    Quando lemos as passagens de Jesus, referindo-se a ele como pastor e vendo Efésios 4: 11, logo deduzimos que o ministério é de pastor, porque já aprendemos duas coisas importantes: 1º - presbítero é a função de um ministro; 2º - bispo é a função de um pastor ou de um presbítero. Bispo, portanto, é uma função para um ministro que coordena e supervisiona. Bispo é, especialmente, a função de um pastor.

g)  Podemos afirmar sem dúvida, mediante as passagens bíblicas de Efésios 4: 11, 1 Timóteo 3: 1-7 e outras semelhantes que bispo é um pastor.


3) Requisitos aos pastores
a)  Os requisitos que vamos ver agora aplicam-se a pastores, bispos e presbíteros, sem distinção. Por esta razão não nos detemos no tema presbítero apresentando tais requisitos.

b)  As passagens bíblicas que melhor nos ajudam nos requisitos para pastor (assim vamos usar o termo, substituindo de uma só vez presbítero e bispo) são: I Timóteo 3: 1-7; Tito 1: 5-9 e mais ainda a recomendação de I Pedro 5: 1-2. A melhor forma de examinar as exigências é fazer uma leitura expositiva da passagem.

c)  I Timóteo 3: 1-7 nos diz: “se alguém deseja ser bispo...é necessário que...” – seja irrepreensível e marido de uma só mulher. Este dois requisitos iniciais têm aplicação distinta porque um se aplica a todos e o segundo somente a homens casados. Jesus e/ou Paulo não exigem que o(a) pastor(a) seja casado, mas que se for seja de uma só esposa. Não é uma exigência somente para homens, mas para aquele a quem Jesus chama. Assim que, se deve ser irrepreensível, deve ser uma pessoa que está sempre preocupada em fazer o excelente, o correto, o que é justo e bom.

d)  É importante que seja temperante, sóbrio, modesto e hospitaleiro. Não é bom ser pastor desequilibrado, mas ser alguém que quando chega, sabemos que as coisas estarão em ordem. Todos sabem que esta pessoa esta sempre no seu juízo perfeito e que não tem necessidade de “aparecer”, porque é modesto: simples e humilde. Quanto ao fato de ser hospitaleiro, nos diz que esta pessoa deve ter prazer em receber gente. Quando um pastor é hospitaleiro, pessoas gostam de vir a igreja que ele ministra, porque sempre são bem recebidas.

e)  O pastor deve ser apto para ensinar - um requisito importante. Um bom pastor é aquele que tem prazer para ensinar. É por isto que muitos entendem que um pastor também precisa ser mestre.

f)    O verso 3 nos diz: “não dado ao vinho, não violento, porém cordato, inimigo de contendas, não avarento”. O pastor não pode ser alguém que vive na carnalidade do vinho. Nesta passagem a palavra é paroinov – bêbado de vinho – alguém  que é conhecido por viver “perto, ao lado” do vinho.

g)  Tanto no que se refere ao vinho, quanto ao que se refere na disciplina de pessoas e trato com dinheiro, o pastor deve ser equilibrado. Uma pessoa desequilibrada nas finanças e sedenta por dinheiro pode levar muitos ao prejuízo e abalar a vida de uma igreja saudável.

h)  A exigência apresentada no verso 4 e 5 é baseada no exemplo, pois o pastor deve ser o exemplo dos fiéis em tudo e mui especialmente no seu lar. A casa de um pastor é sua primeira igreja a cuidar.

i)    O verso 6 nos apresenta a necessidade do pastor como presbítero. Ele não pode ser uma pessoa inexperiente, pois pode cair na vaidade e soberba julgando ser mais e melhor que outros. Um presbítero é um “ancião” e portanto, não pode ser um “menino”, imaturo. A imaturidade é a responsável por desobediência e rebeldia na igreja. Sempre que vejo um rebelde, vejo um imaturo, que não conhece as consequências de seu ato, porque é uma criança.

j)    O testemunho de pessoas não crentes sobre um pastor é uma coisa muito boa. Isto porque o(a) pastor(a) é um(a) Homem (Mulher) de Deus. Isto não é algo só para a igreja, pois seria só religião. Ser Homem ou Mulher de Deus é um estilo de vida. Se você não quer ter este estilo de vida, esqueça o seu “chamado”.

k)  Vamos passar ainda pela passagem de Tito 1: 5-9. Analisemos ela juntos.


Conclusão
Como vimos, são muitas as exigências ao ministério pastoral. Porém é importante notar que estas exigências não são somente a pastores, mas àqueles que ocupam algum ofício: apóstolo, profeta, evangelista, pastor e mestre. É claro que existem requisitos específicos ao apóstolo, outros específicos ao profeta ao evangelista, etc. Ser um exemplo para os de fora, ser marido de uma só mulher, temperante, sobro, cuidar bem de sua própria casa e mais semelhantes a estes requisitos, são típicos de quem faz parte do ofício de Cristo. Porém, não devemos esquecer que bispo e presbítero são funções de ministros e, por isto, são requisitos necessários a estes por causa do ministério.
Não esqueça bispo e/ou presbítero é função de ministros de Cristo.

Nenhum comentário: