MINISTÉRIO DIACONAL – MINISTÉRIO DA IGREJA

Atos 6: 1-6; I Timóteo 3: 8-13


Introdução
- Temos, no estudo de hoje, dois textos bíblicos fortes para o tema proposto. Além deste dois textos vários outros poderão nos ajudar, identificando a função dos diáconos na igreja.
- O primeiro assunto a ser resolvido é termos em conta se o texto de Atos 6 corresponde a idéia de implantação dos diáconos no seio da Igreja de Jerusalém. Precisamos identificar o propósito a fim de entendermos a missão do diácono. Outro fato que vamos estudar é quanto ao tempo de serviço que um diácono pode prestar na igreja. A pergunta a ser respondida é se o diácono, uma vez sendo tal, tem um prazo de serviço, se é permanente o serviço ou ainda, se ele pode abdicar deste posto.


1) Auxiliando os Apóstolos - Atos 6:1-6
a)  Observando o livro de Atos, nos capítulos 4 e 5, o crescimento da igreja gerou um santo problema. Os apóstolos recebiam as ofertas, conforme foi visto no estudo anterior. Cabia a eles fazer a distribuição conforme as necessidades. Por causa do crescimento, as viúvas cristãs gentias eram esquecidas, enquanto as viúvas cristãs hebréias eram bem atendidas. Este fato gerou a murmuração registrada em Atos 6. A decisão administrativa dos apóstolos determina o que vai acontecer daqui por diante.

b)  O trabalho, que antes era realizado por apóstolos, na distribuição diária, é tratada por eles como “servir a mesa”. A palavra, no verso 2 é “diakonew eu sirvo como diácono. Acredito que, por exercerem a diaconia de apóstolo, pensavam eles que assim deveriam fazer com a distribuição diária. Porém, logo entenderam que seu trabalho era a diaconia da Palavra e da oração. Então, alguém precisava ser diácono das mesas dos necessitados da igreja.

c)  Este é o contexto da necessidade dos diáconos. A palavra diakonew = diakonéo pode ser explicada assim:
ð  ser um servo, atendente, doméstico, servir, atender
1- ministrar a alguém, render ofícios ministeriais a, ser servido ou ministrado a
2- atender a mesa e oferecer comida e bebida para os convidados
- de mulheres preparando comida
3- ministrar, i.e. fornecer alimento e necessários para a vida
3.1- aliviar as necessidades de alguém (por meio de recolhimento de donativos), prover ou cuidar de, distribuir (as coisas necessárias para sustentar a vida
3.2- cuidar do pobre e doente, o que caracteriza o ofício de um diácono
3.3- em igrejas cristãs, servir como diácono
4- ministrar:
4.1- participar de qualquer evento que possa servir aos interesses de outros
4.2- ministrar uma coisa para alguém, servir alguém ou suprir alguma necessidade

d)  Então, nesta passagem bíblica não podemos fugir do fato de que eles estão tratando da diaconia da igreja – a formação do corpo diaconal.


2) Requisitos Morais do Diácono
a)  Leiamos Atos 6: 3 – Vemos aí três exigências para estes diáconos: boa reputação (bom testemunho), cheios do Espírito Santo e cheios de sabedoria. Vamos tratar neste ponto sobre a boa reputação.

b)  Entendemos que o apóstolo Paulo melhor descreveu as exigências morais, que se referem à boa reputação dos diáconos. A palavra que se refere a boa reputação designa também alguém que tem um bom testemunho. A passagem bíblica que descreve esse “bom testemunho” está registrada em I Timóteo 3: 8-13

c)  1- Respeitável ou honesto: designa uma pessoa que é venerada por seu caráter, uma vez que anda corretamente.

d)  2- De uma só palavra ou não de língua dobre: o diácono precisa ser uma pessoa que tem uma linguagem autêntica. Não pode ser uma pessoa que aqui fala uma coisa e acolá fala outra. Ou ainda, não pode ser uma pessoa de “duas caras”.

e)  3- Não dado a muito vinho – designa uma pessoa que tem controle sobre o que faz e, portanto, desprovida de vícios, inclusive da bebida alcoólica.

f)    4- Não cobiçoso de torpe ganância: a palavra no original grego designa uma pessoa que detesta obter lucro ilícito ou não é ganancioso por dinheiro. Não é pecado trabalhar para ter dinheiro, nem a necessidade dele também, porém o amor a ele é pecado.

g)  5- Mistério da fé em consciência pura: Existem coisas da fé cristã que devem ser bem guardadas em nossa vida, porém as exigências da fé em Cristo não podem ser executadas por quem vive com uma mente suja, dominada por culpa, pecado e julgamentos. O diácono deve ser alguém que não se escandaliza facilmente, senão é fraco na fé e menino(a) na mesma.

h)  Ser primeiro provados: ter experiência de campo é importante para quem vai ser diácono. Por isto deve o candidato a este ministério ser testado durante um tempo indeterminado.

i)    No caso de ser uma diaconisa, ou esposa de diácono, esta, além da qualidades citadas, ainda devem ser:
- respeitáveis, a ponto de todos saberem que é uma mulher séria e que não se veste inde-corosamente;
- não maldizente, tem o significado de não ser “faladeira”. A pior coisa que existe é uma mulher crente faladeira... para ser diaconisa, nem se fala!
- temperante, neste caso, refere-se a mulher que tem controle de suas atitudes e personalidade. Uma diaconisa descontrolada não é possível.
- fiéis em tudo, nos indica uma mulher que não é fiel apenas em uma área, mas que sua vida é baseada na fidelidade aos amigos, família, líderes e ao Senhor.

j)    Quando casado, o diácono dever ter uma só esposa e ainda ter um bom governo de seus filhos e sua casa. Um diácono não pode ter em sua casa uma verdadeira bagunça familiar.


3) Requisitos Espirituais
a)   Cheios do Espírito Santo. De acordo com a observação da Palavra de Deus em Atos, existe um modo de ser cheio do Espírito.
b)   Examinemos o que diz Atos 2: 1-4. Observe a frase que diz que “...foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar noutras línguas...”

c)   Paulo nos ensina em Efésios que o método de ser cheio do Espírito é falar entre nós em salmos, hinos e cânticos espirituais. Crer que ser cheio do Espírito nos motiva para pregar, para sermos testemunhas de Cristo é algo muito comum na fé de uma igreja apostólica e pentecostal.

d)   Caso você tenha dúvidas sobre isto, pergunte-se: como um crente pode ser caracte-rizado como cheio do espírito? Quais são os requisitos que indicam isto?

e)   A fé cristã nos demonstra que cada vez que um crente é cheio do Espírito, a evidência disto, inicial, é o falar em outras línguas. Caso você considere que ser cheio do Espírito não precise ter evidência disto, pois é muito subjetivo, deve examinar bem Atos 1: 4-5; caps. 2, 10-11, 19 e ainda I Coríntios 14: 2, 4, 13-15. Você pode até perguntar a alguém, mas deve ler os textos e examiná-los.

f)    O batismo no Espírito Santo é a porta inicial para o enchimento do Espírito. Não é possível ser cheio do Espírito sem que, primeiro, tenha passado pelo Batismo no Espírito Santo. O Batismo no Espírito Santo é o enchimento inicial.

g)   O batismo no Espírito Santo é o primeiro passo para uma vida cheia do Espírito, não é o clímax. O clímax é a plenitude do Espírito que um dia obteremos. Não será possível chegar lá se não iniciarmos uma busca para ser cheio do Espírito. Leiamos Efésios 5: 18-19, Colossenses 3:16, Judas 9. ENCHEI-VOS do Espírito!


4. Cheios de Sabedoria
a) Tiago nos ensina que se alguém não tem sabedoria, peça-a a Deus – Tg 1:5; 3: 13-17

b) Tiago nos ensina o que não é sabedoria. Salomão nos ensina o que é sabedoria. Aprendemos ao longo da vida cristã que a sabedoria é a capacidade de tomar decisões baseado em princípios de Deus, que não alteram sua palavra, leis naturais e o exercício do amor.

c) Quando um diácono(a) tem de decidir a quem doar alguma coisa, precisa ter  um bom discernimento das reais necessidades das pessoas. Não pode ser levado pelo coração, mas pela retidão. Ser justo requer uma boa dose de sabedoria.

d) Por isto que um diácono precisa ser uma pessoa equilibrada. Saber tomar decisões e rápidas requer um mínimo de sabedoria. Esta capacidade de decisão não é motivada por circunstâncias ou simples afetividade, mas por um desejo de fazer o que Deus quer.

e) Quando um diácono age deste modo, adquire para si muito respeito e intrepidez na fé. Daí que todos verão que ele é mais do que diácono e que há um chamado mais especial.


Conclusão
No próximo estudo daremos prosseguimento a este assunto falando sobre igrejas que têm diáconos na liderança ministerial da mesma e exemplo de pessoas que serviram como diáconos. Além disto veremos exemplos de indivíduos que serviram tão bem como diáconos que foram além da média e foram contados no ministério quíntuplo depois de um tempo, por causa de seu exercício ministerial.

Nenhum comentário: