CORRIGINDO MAUS HÁBITOS DA ORAÇÃO

Mateus 6: 7-15
ESTUDANDO SOBRE ORAÇÃO - III


Introdução
             Estamos estudando a oração de um ponto de vista mais dinâmico e prático. Os dois estudos anteriores nos propiciaram facilitar nosso entendimento, a partir do fato que antes de teorizarmos demais, devemos praticar.
             Por outro lado, temos observado o comportamento do povo de Deus neste campo da oração. Além do fato de não ser muito praticada, a oração tem sido tratada de modo tão religioso que perdemos a idéia de tratar com uma pessoa tão especial como nosso Deus. Observamos muitos erros de linguagem em algumas pessoas que, embora perseverantes, comportam-se de modo tão, mas tão religioso que suas orações não são atendidas.
             Já vimos que a oração eficaz é a que obtêm resposta. Porém, vamos estudar aqui porque algumas orações não obtêm resposta. Algumas estão inseridas nas “vãs repetições”, outras estão desprovidas de significados, enquanto outras são orações sem nenhuma humildade diante de Deus. Vamos estudar um pouco sobre isto.


1) Livre-se das Vãs Repetições
             Mt 6: 7a – “E, orando, não useis de vãs repetições...”

a)    Ao longo de minha vida cristã, observo comportamentos bizarros com pessoas que oram. Alguns erram na oração porque são meninos na fé, porém outros são extremamente religiosos que fazem na sua oração o que faziam na sua religião anterior. Vamos observar isto.

b)    “Senhor, abençoa, Senhor, nossas vidas, Senhor, porque, Senhor, nós precisamos, Senhor e...” – Assim alguns seguem sua oração. Já tentou avaliar uma pessoa conversando com você e repetindo seu nome a cada três ou quatro palavras?

c)A razão porque algumas pessoas oram assim são as mais variadas. A primeira das razões não se trata basicamente de religiosidade, mas sim de timidez e dificuldades de orar em público. A razão básica é porque a pessoa fica tão absorta em sua “vergonha” diante de outras, que não percebe o que está falando. É como se fora um “tique-nervoso”, nada que não possa ser resolvido.

d)    Há os casos em que é simplesmente falta de hábito de orar. Não é uma questão de orar em público, mas a pessoa, mesmo quando está sozinha, não percebe que repete compulsivamente a mesma coisa: Senhor, Senhor, Senhor, Senhor... – ou ainda Pai, Pai, Pai... ts ts ts ts...

e)    Este problema é resolvido com uma prática maior de oração e observação no que está fazendo. O problema desta pessoa é simplesmente seguir minha orientação dada no estudo passado e se organizar para que tenha uma vida de oração saudável. Quando tiver um bom hábito de orar, começará a orar corretamente. A prática de algo nos ajuda a melhorar o que fazemos. Assim acontece com as mulheres que aprenderam a fazer bolo. Como faz pouco ou esporadicamente, sempre sai “solado”. Porém a repetição a fará melhorar a qualidade de seu bolo. Assim também ocorrerá na oração.

f)  O problema mais grave é quando a pessoa, mesmo orientada não consegue resolver. Primeiro, porque não se habitua a orar mesmo. Segundo, porque não vence mesmo seu problema de timidez. O melhor a fazer com a timidez é resolvê-la, ou então ser sempre sincero e quando lhe for pedido a orar, sabendo que faz a tal “vã repetição”, informe que fica “muito nervoso” quando ora em público, se isto for verdade e solicite pedir a outra pessoa.


2) Religiosidade – Um Problema Grave
      Mateus 6: 8a – “...Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário...”

a)    A religiosidade anula a verdadeira fé, porque não conhece o Deus verdadeiro. A pessoa religiosa não tem uma experiência com Deus, tem uma experiência com a igreja, com as pessoas, com a doutrina da igreja e segue padrões de sua denominação, que lhe são impostos.

b)    Deus só nos ouve quando oramos no monte? Será que Deus só nos ouve quando oramos no nosso quarto e de joelhos? Existem algumas palavras chave para que a oração funcione, do tipo “boníssimo Deus” ou “Altíssimo e Magnífico Deus”? Oração poderosa e eficaz é a feita em vigília na igreja? Se não fechar os olhos, a oração não funciona?

c)Estas são algumas questões recorrentes. Devemos pensar:porque fechamos os olhos para orar? A Bíblia manda isto, proíbe isto? – Nem uma coisa nem outra. A religião nos ensina a fechar os olhos. Porém esta prática, em muitos casos é saudável porque mantemos nossa mente no propósito da oração e não pomos os olhos em algo que vai nos desviar. Porém podemos orar mesmo sem fechar os olhos? É claro que sim! O importante da oração é o que e como falamos e não o fato de fecharmos olhos ou não.

d)    Aprenda a orar de modo espontâneo e sem imitar os outros. Já reparou que temos alguns que gostam de impostar a voz quando vão orar? Fazem isto porque sua “religião” faz assim. Aliás até lhe disseram que é assim que se impressiona as pessoas a nossa volta quando vamos orar. Especialmente acreditamos que nossa oração é poderosa porque alguém do nosso lado disse: Uau! que oração! Mas quem deveria falar isto não seria Deus? Bom, eu acredito que quando a resposta de minha oração vem, é como se ouvisse Deus dizer: Uau! Oração das boas! – É Deus quem deve avaliar minha oração. A palavra de Deus me avalia por isto.

e)    Acredite, orar não é difícil! O mais importante na oração é ser livre de pressões humanas e religiosas. Muitas das dificuldades de alguns é porque não entendem que quando oram junto com alguém é preciso haver concordância. A pessoa que ouve a oração precisa dizer amém de coração. Sabe, quando alguém termina de orar e todos estão dizendo dentro de si tstststs, é preciso que outro ore de novo.


3) Corrigindo nossa Vaidade e/ou Orgulho
      Lucas 18: 10-14
a)    Tenho ouvido cada coisa nestes últimos 30 anos! Só falta ouvir alguém orando que tem orgulho de sua própria humildade. Isto porque existe tanta gente orgulhosa orando que bem que elas são capazes de acreditarem que são muito humildes. Outras vezes temos orações providas de ousadia que beira a porta do abuso!

b)    Outras vezes encontramos pessoas com tal humildade que percebemos que ela é a expressão correta da vitimização do ser. Têm um comportamento de Gideão, quando do diálogo com o anjo. Sentem-se o menor de tudo e todos. É bom ser humilde diante de Deus, mas não podemos ser vítimas da vida. Deus nos livre disto.

c)É importante que quando oramos reconheçamos o papel de Deus em nossas vidas, a fim de sermos humildes de verdade. Ele sonda os corações e não podemos fingir diante dele. Podemos fazer uma oração linda diante das pessoas, mas oração é algo sério e deve ser tratado seriamente. Deus não brinca de deus e nós não podemos brincar de servos de Deus.

d)    A melhor postura ensinada por Jesus, na oração do “Pai Nosso” é esta: Deus é nosso Pai e nós seus filhos. Podemos ser filhos exigentes e “chatos” ou filhos amorosos e cheios de respeito e devoção. Devemos ser aqueles de quem o Pai possa dizer de nós: Este é meu filho amado em quem tenho grande prazer!

e)    O problema da oração vaidosa é a tentativa de “espremer” Deus. Situá-lo em um lugar onde ele pode ser tratado de garçom e não de um Deus é o máximo do orgulho e é a situação que Jesus trata no texto deste ponto. O problema que Jesus coloca é que cada um deve reconhecer o papel de Deus em sua vida e render-lhe graças, honra e majestade.

f)  Quando vamos orar em público, devemos manter o foco da oração em Deus e não nos sentimentos das pessoas. Pensar no que as pessoas vão dizer de nós é levar em conta que as pessoas que estão orando conosco são nossos juízes. É claro que a pessoa que ora conosco precisa dar o amém e assim haver concordância, mas não podemos manter em nosso coração um sentimento de que queremos impressioná-la. Temos de impressionar a Deus.


4) Falando Demais e Sendo Genérico
     
a)    Já participou daqueles momentos de oração que uma só pessoa domina toda a reunião fazendo uma oração comprida e chata, quando não é hilária? Outros há que nunca são específicos na sua oração. Suas palavras são sempre pela conversão do mundo inteiro e por todos os hospitais da face da terra, sem falar que Deus visite as igrejas e os crentes na face da terra. É claro que Deus quer curar os enfermos e é mais claro ainda que ele visita seu povo e sua igreja, mas apresente algum grupo específico a Deus a fim de ele enviar seus anjos lá e você ficar sabendo que houve algo sobrenatural com aquele grupo por quem você orou.

b)    É verdade que Jesus disse que o Pai sabe o que precisamos antes de lhe pedirmos. Mas Jesus diz que devemos orar, com humildade e fé. Por que isto? Porque Deus quer me ouvir buscando-o e dependendo dele. Porém ele deseja que eu e você sejamos específicos. Este é o melhor modo de saber que nossa oração foi atendida.

c)Quando orar, cite o nome das pessoas, das situações e dos problemas que você deseja ver Deus agindo. Se você quiser ser bem específico, não há problema, mas não divague num assunto sem sentido. Pense em algo específico e narre o problema com clareza a Deus. Trate o Pai Celestial como uma pessoa, pois é o que Ele é. Deus não é uma força do universo, ele até tem todo o poder e força do universo, mas ele não é uma energia, ele é a causa de toda energia no universo.


Conclusão
         Avalie agora mesmo o seguinte: Como tem sido suas orações, mesmo quando está a sós. Tem sido uma repetição de Senhor, Senhor, Senhor... ou Pai, Pai... etc.? Como tem sido suas palavras diante de Deus? Tem sido uma pessoa que conversa com Deus ou daquelas que somente sabe pedir por si e chorar como um mendigo diante de Deus?
         Se você tem sido ousado na oração, já se encontrou alguma vez pressionando a Deus a ponto de pensar que está sendo “abusado(a)”? Se você considera que esta sendo ousado além do limite, talvez esteja mesmo. Assim lhe recomendo o seguinte. Inicie sua oração confessando suas falhas a Deus. É claro que estamos falando de sua oração a sós ou com alguém muito seu amigo e/ou íntimo. Principie abrindo seu coração ao Pai. Reconheça-o, adore-o, exalte-o e gaste tempo nisto. Deus gosta tanto de elogios, que sua Palavra diz que o louvor lhe cai bem e que bom é louvar ao Senhor. Louvor é elogio!
         Amanhã, quando for orar, gaste um bom tempo em adoração e apenas deixe que Deus tome a direção de sua vida. Declare isto com clareza e de coração. Sempre que orar, acredite que ele sonda o seu coração, assim não adianta esconder nada dele.

                Deus te abençoe!

Nenhum comentário: