MINISTÉRIOS E A MULHER

Gênesis 1: 26-28 // Gálatas 3: 26-29


Introdução
- Estudamos até aqui os ofícios de apóstolo e profeta, vimos também o trabalho dos diáconos e como atuam os presbíteros e o presbitério na igreja de Jesus.
- Antes de prosseguirmos com o ofício seguinte, pastor e a função de bispo, vamos estudar onde as mulheres se encaixam nisto tudo. Não deveríamos ter um capítulo exclusivo para falar sobre as mulheres, mas a postura ministerial de hoje ainda é machista.
- Não é nossa intenção ofender ninguém e nem chocar, porém o Reino de Deus é o centro da mensagem apostólica. Vamos dizer que mulher não faz parte do Reino de Deus?
- O estudo de hoje visa estabelecer as regras bíblicas de Jesus para o ministério feminino. Embora o apóstolo Paulo nos fala sobre o papel da mulher, precisamos analisar como Jesus tratou a mulher.


1) O Propósito da Criação

Vamos ler Gênesis 1: 26-28 e vamos analisar este texto a partir de sua língua original
a)  Nos versos 26 e 27 encontramos que Deus fez o homem a sua imagem e semelhança. Aliás esta é a maior razão porque satanás procura destruir o homem. Satanás quer dizer adversário e ele é adversário do homem e de Deus por que quis ser semelhante ao Altíssimo (Isaías 14: 13-14).

b)  A palavra “homem” em ambos os versículos é ADAM do hebraico Mda – homem.
Mda ‘adamè homem, humanidade (designação da espécie humana)
i)       homem, ser humano
ii)     homem (como indivíduo), humanidade
iii)   Adão, o primeiro homem

c)  A palavra que designa homem vem de uma raiz que quer dizer “vermelho”, o que de certo modo é muito interessante, pois designa como o homem foi feito: do barro!

d)  O verso 27 nos deixa uma afirmação clara de quando Deus fez o homem. Encontramos que ele fez a humanidade: homem e mulher. Esta é a narrativa inicial do que Deus fez no sexto dia. No capítulo 2 de Gênesis, Moisés descreve mais especificamente o modo como Deus fez o homem e a mulher

e)  Além de ter feito homem e mulher no mesmo dia, no versos 26 a 28 a tônica é que Deus determinou uma bênção de multiplicação a eles e os fez para “dominarem” sobre toda a terra.

f)    “Dominar” no texto que estamos vendo é è governar, ter domínio, dominar, submeter, subjugar e levar a dominar. O verso 28 diz que Deus os abençoou com isto, mas abençoou tanto o homem quanto a mulher. Ambos receberam domínio, poder para mandar e gerenciar. Deus não estabeleceu apenas o homem para dominar, mas ambos: homem e mulher. Porém este domínio é sobre toda a terra, peixes, animais selváticos, aves e todo que se arrasta sobre a terra.

g)  Este domínio se excetua um sobre o outro. Antes do pecado, homem e mulher tinham todo o domínio e autoridade sobre a terra. Este domínio não se estendia de homem sobre a mulher, nem vice-versa e nem de homem sobre homem. O que sempre existiu foi autoridade espiritual, ou autoridade delegada. Porque o homem foi feito primeiro e recebeu ordens específicas, este sempre foi a autoridade delegada de Deus. Isto não quer dizer domínio, apenas quer dizer è liderança, influencia.

h)  O primeiro Adão, antes de pecar foi feito para ser o gerente da terra. Deus lhe deu autoridade para dar nomes aos animais. A missão do homem no Jardim do Éden era lavrar e guardar. O Trabalho e a responsabilidade estão com o homem e a mulher.


2) Como a Ordem Foi Quebrada

a)  Lendo agora Gênesis 3 e especialmente os versos 16 e 17 vemos as maldições lançadas sobre mulher e homem. À mulher disse Deus: “Multiplicarei grandemente a dor da tua conceição; em dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará”.

b)  O plano inicial de Deus era que o ser humano dominasse sobre tudo na terra, excetuando-se um sobre o outro. Jesus claramente nos ensina sobre isto em Marcos 10: 42-43. O propósito de Deus, conforme Jesus era que o ser humano servisse um ao outro. Paulo reafirma isto em Romanos 12: 10.

c)  O capítulo 3 de Gênesis narra a queda do homem e o resultado disto. Sabemos que o pecado criou desordem na criação e fez com que o governo desta terra fosse entregue ao diabo. A terra se tornou lugar de passeio de satanás. Os governos deste mundo pertencem ao diabo por direito, até que a igreja exerça sua autoridade e retire o poder do mal. De cada lugar na terra que ela liga ou desliga, ata ou desta, autoriza ou proíbe ela tira o poder do diabo. A igreja recebeu este poder de Cristo.

d)  Por causa do pecado, a mulher deixou de ser dominadora com o homem e passou a ser dominada por ele. Assim está exposto na expressão “o teu desejo será para o teu marido e ele te dominará”.

e)  É importante destacar que antes da queda, o propósito de Deus era que homem e mulher dominassem sobre a terra e somente não dominariam um sobre o outro. Deus fez os seres humanos para cooperarem entre si e servirem uns aos outros. O pecado é que gerou a natureza maligna no coração do homem e o fez querer subjugar um ao outro.

f)    O reino de satanás se estabeleceu por causa do pecado. Enquanto o homem não se volta para Deus e enquanto a igreja não estabelece o Reino de Deus no lugar onde ela está, satanás mantém o seu domínio e o homem o serve.

g)  O pecado, a desobediência do ser humano mantém a maldição do Éden. Maldição de submissão e subserviência feminina. Maldição de trabalho duro e indigno do homem sobre a terra. A maldição do Éden leva o homem a um trabalho que lhe esgota e lhe deprime, subjugando-o ao sofrimento e a escravidão satânica.


3) Cristo restabelece a Ordem

a)  Vimos, portanto, que por causa do pecado a humanidade está sob o império do mal, o império do pecado e da morte. Esta é a herança dos que nascem segundo o primeiro Adão. O pecado trouxe a maldição da lei e suas conseqüências. Como está escrito em Romanos 3:23, todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.

b)  Gálatas 3:13-14 nos determina que, em Cristo, todas as maldições são quebradas. Vejamos algumas passagens bíblicas importantes de como Jesus aniquila o domínio de satanás: è I João 3:8; Romanos 6: 23; João 1: 12-13, 3:6

c)  Nossa confissão de fé em Cristo nos livra do pecado e do domínio de satanás. Por esta razão Jesus pregou que “é chegado o reino de Deus”. Agora é o império do bem e todos os que são de Cristo “vencem o mundo”. O princípio do domínio do homem e da mulher são restaurados pela fé em Cristo. A maldição da lei foi quebrada e todos os que são de Cisto são conforme o segundo Adão, que é Cristo.

d)  O texto de Romanos 5: 13 a 21 nos expõe muito bem como o pecado entrou no mundo por causa de Adão e como Cristo anula a maldição, pela fé que depositamos nele. A graça de Deus nos libertou. Isto quer dizer que aquela maldição do domínio do homem sobre a mulher foi anulada em Cristo. Assim lemos em Gálatas 3: 13-14 e 26-29.

e)  O conhecimento da verdade nos liberta. A liberdade verdadeira requer responsabilidade. Isto quer dizer que porque a mulher foi liberta do domínio do homem, também recebeu responsabilidade. As mesmas exigências feitas a ele, em termos de responsabilidades são feitas a elas.

f)    Jesus Cristo veio para restaurar as coisas que o ser humano havia quebrado e destruído. O domínio que o homem e a mulher tinham sobre toda a terra, foi restaurado por Cristo. Ele viveu uma vida sem pecados e veio a este mundo tal qual o primeiro Adão, cheio de autoridade e poder. Ele acrescentou a si mesmo mais poder e autoridade quando se submeteu a Deus em tudo, inclusive o cálice: a cruz e a morte.

g)  Sua morte inocente lhe permitiu ressuscitar pelo poder do Espírito. Antes de morrer, quando ainda vivia, Jesus disse em Lucas 10:18, que dava aos discípulos poder e autoridade sobre serpentes e escorpiões e toda força do inimigo. De onde ele tirou isto? De sua natureza adâmica sem pecado! Porém depois que ressuscitou não recebeu apenas autoridade sobre a terra, mas sobre todas as coisas. É por isto que em Mateus 28:18ss ele diz que todo poder e autoridade lhe é dado nos céus e na terra. Sua ressurreição sem pecado lhe deu isto. Quando ele foi levado ao céu, completou para si todo o domínio, autoridade, poder, soberania. Ele então, agora, é Senhor de tudo e de todos, Rei dos reis e Senhor dos Senhores.

h)  Quando o ser humano se volta para Cristo, recebe o que Cristo recebeu e é “colocado a sua destra, nas regiões celestes” – Leia a passagem de Efésios 1:16 – 2:9.

i)    Por isto, as mulheres não são em nada inferiores aos homens. Em Cristo, não é só o homem que é restaurado ao seu domínio original, mas a mulher também. Leia a gora Gálatas 3: 26-29. Diante de Deus e em Cristo Jesus, não há homem nem mulher, todos são um em Cristo Jesus. Todos são UM em Cristo Jesus! TODOS são UM em Cristo Jesus! Não há homem e nem mulher! NÃO HÁ homem e nem mulher, pois TODOS são UM em Cristo Jesus. Ele não faz acepção de pessoas. Isto serve para salvação e para a vocação; é tanto para o serviço, quanto para o CHAMADO!


4) O Chamado das Mulheres

a)  Do mesmo modo que foram dadas recomendações aos bispos e aos demais ministérios da igreja, assim, sem exceção são dadas as mulheres. Do mesmo modo que um homem não deve exercer o ministério porque sua esposa não é temente a Deus, assim a mulher, se casada, em relação ao seu marido.

b)  O casamento de quem tem o entendimento ensinado até aqui, funciona nas bases da Graça e da fé em Deus. Não é possível ser aplicado este estudo para os que vivem fora dos princípios de Deus, porque nunca vão entender o que é uma só carne. O ministério da família deve ser observado conforme o que disse Paulo:
è Maridos, amai a vossas mulheres como Cristo amou a igreja e se entregou por ela...
è Mulheres, sejam submissas aos seus maridos como convém no Senhor.

c)  Quando uma mulher é líder de uma igreja, seu marido está sob sua orientação espiritual, mas em sua casa o princípio de amor e submissão devem ser observados. Não é porque uma mulher foi chamada a ser líder de uma igreja que seu marido perdeu a autoridade. Ele a tem e a mantém em sua casa, mas não na igreja. Tal qual Miriã e Arão não tinham autoridade ministerial sobre Moisés (Nm 12), embora o tivessem na família, assim quando Deus chama uma esposa para o ministério.

d)  O chamado e os ministérios são de Cristo e não do homem – o macho. Quando Cristo foi confrontado sobre o pecado de adultério de uma mulher ele sugeriu que aquele que não tivesse pecado atirasse a primeira pedra. Os acusadores eram todos homens, mas que não haviam levado o homem pecador... o que era injusto. Então eles precisam avaliar se têm o direito de fazer aquilo. A conclusão óbvia é que eles sabiam que também estavam falhando, tal como uma mulher falha.

e)  O princípio de liderança de uma mulher e de um homem deve ser observado do mesmo modo como Jesus salientou em Marcos 10: 42-43. Não haverá quem domine sobre vós. A grande dificuldade de aceitarmos a liderança da mulher passa por ignorância à verdade da Palavra de Deus.

f)    Se considerarmos as palavras de Paulo de que a mulher não deve ensinar e que deve estar calada na igreja, temos de decidirmos o seguinte: 1º) Já faz muito tempo que não estamos seguindo essa orientação paulina, ou; 2º) A orientação de Paulo tem a ver com cultura do povo a quem orientou e que estavam sob a cobertura espiritual de Timóteo, ou; 3º) Não devemos levar em consideração isto. Bom acredito no 2º item.



Conclusão
            Levando em consideração o que aprendemos aqui, concluímos que não é problema que uma mulher seja presbítera, ou bispa, ou pastora e/ou um dos cinco ministérios, mesmo que seu marido não receba o chamado ou não tenha vocação para tal. O ministério é de Cristo e que para tal, diante de Deus, não há homem nem mulher, pois todos somos um em Cristo. Isto não quer dizer nada em relação ao homossexualismo, levando-se em consideração as palavras bíblicas contra tal prática pecaminosa.