SE É MINISTÉRIO, SEJA EM MINISTRAR

Romanos 12:7-8 – Efésios 4: 11-13


Introdução
- Vamos trabalhar durante estes próximos dias estudando o tema ministérios. Mais especificamente, vamos nos deter nos 5 ministérios, mas também vamos nos referir aos vários ministérios referidos no Novo Testamento.
- Nos textos acima, encontramos a palavra ministério devidamente aplicada para o propósito do estudo. Neste estudo de hoje, vamos nos deter nos termos e as aplicações deste termo. Por isto vamos passar em outros ministérios além dos 5 referidos por Paulo na carta Aos Efésios.
- Neste estudo queremos privilegiar a avaliação crítica de cada aluno. Assim é que, dúvidas deverão ser esclarecidas logo neste primeiro estudo, a fim de esclarecer futuras questões que possam existir. Portanto, qualquer que precisar interromper o prosseguimento do estudo a fim de esclarecer junto ao seu professor sua dúvida, é bem vindo.


1) O que é Ministério – Rm 12: 7 e Ef 4:12

a)  Em ambas as passagens bíblicas deste ponto a palavra ministério é diaconia. Esta palavra no NT, no grego é diakonia. Esta palavra, que é traduzida como ministério não é a única para tal uso, porém é a única usada para designar os 5 ministérios de Efésios.

b)  Em Atos 1: 17, 25, quando Matias foi colocado como apóstolo em lugar de Judas, Pedro diz que o apostolado faz parte do ministério = diakonia.

c)  Algumas passagens bíblicas usam palavras que designam ministério, porém diferentes de diakonia são:
ð  diatagh  - diatage – Atos 7:53
ð  logov – logos – Atos 8:21
ð  leitourgia – leitourgia – Lc 1:23 e Hb 8:6
d)  DIACONIA em grego quer dizer:
1) serviço, ministério, esp. daqueles que executam os pedidos de outros;
2) daqueles que pelo pedido de Deus proclamam e promovem religião entre os homens:
2a) do ofício de Moisés
2b) do ofício dos apóstolos e sua administração
2c) do ofício dos profetas, evangelistas, anciãos, etc.
3) serviço daqueles que brindam aos outros os ofícios da afeição cristã esp. aqueles que ajudam a atender necessidades, seja pelo recolhimento ou pela distribuição de caridades;
4) ofício do diácono na igreja;
5) serviço daqueles que preparam e ofertam alimento.

e)  A finalidade da palavra diaconia é designar alguém que presta um serviço como o de um garçom. Este trabalha atendendo pedidos dos outros. No caso dos diáconos da igreja, procuram atender os pedidos da igreja, atendendo as necessidades materiais do povo. Já os 5 ministérios, desempenham a tarefa de atender os pedidos de Deus e as necessidade do Reino de Deus.

f)    Também entendemos claramente que outros ofícios da igreja atendem o ministério, que visa atender os pedidos de Deus para uma tarefa específica na igreja. Assim que temos o bispo, o presbítero (ancião) que exercem também função pastoral.


2) O Propósito dos Cinco Ministérios

a)  De acordo com Efésios 4: 12 temos três finalidades destes 5 ofícios:
1-       Aperfeiçoar os santos
2-       Executar a obra do ministério
3-       Edificar o Corpo de Cristo (igreja)

b)  Tudo isto visa levar cada pessoa integrante do corpo de Cristo a um crescimento estável. O plano é que cada um de nós viva como Jesus viveu na terra. O plano é que a verdade seja conhecida e esta verdade liberte!

c)  Quero, ao mesmo tempo, esclarecer que a Trindade trabalha no estabelecimento de dons, ofícios e capacitações na igreja. Para isto vejamos I Coríntios 12: 4-6. Temos neste texto 3 coisas distintas: dons, ministérios e operações.

d)  Didaticamente podemos dividir que cada pessoa da Trindade atua assim:
1-       Espírito Santo – concede dons = carísmas
2-       Jesus Cristo – concede ministérios = diaconías
3-       O Pai – concede operações (capacitações) = enérgemas

e)  Para cada um destes acima, são manifestações da trindade de Deus. Isto quer dizer que os cinco ministérios são manifestações do ofício de Cristo na igreja. O propósito, portanto, dos cinco ministérios é que cada ministro representa um dos ofícios de Cristo, manifesto em pessoas que ele estabeleceu para representarem ele na igreja.

f)    Se Cristo é o cabeça da igreja, então estes cinco ministérios têm a função de liderança, uma vez que representam os ofícios de Cristo.

g)  A liderança de Cristo é representada, portanto, por estes ministros, no seio da igreja. Isto quer dizer, então, que além das finalidades relatadas no início deste ponto, a outra finalidade dos cinco ministérios é serem a autoridade de Cristo na Igreja.

A AUTORIDADE DE CRISTO É REPRESENTADA, NA IGREJA, PELOS CINCO MINISTÉRIOS, TAMBÉM CHAMADOS OFÍCIOS, QUE ELE ESTABELECEU


3) O que faz cada Um

a)   Lembrando, os cinco ministérios são: Apóstolo, Profeta, Evangelista, Pastor e Mestre.

b)   O Apóstolo, juntamente como o profeta, é responsável pelos fundamentos da igreja. Vemos isto em Efésios 2:20. O apóstolo, como nos casos de Pedro, Tiago, Paulo, João, é responsável, pela direção doutrinária (At 2: 42; 15: 7-22 e as cartas de cada um deles). Não pode haver nova doutrina na igreja sem que isto seja trazido pelos apóstolos. Também a direção administrativa (At 6: 1-7) é dada pelo apóstolo. O apóstolo trata todos visando-os levar a viverem como águias. Tudo isto, quando a igreja, claro, tem este ministério.

c)   O profeta, no caso do ministério, não exerce apenas o papel de ter visões e revelações, mas orienta, edifica e proclama a Palavra de Deus. A profecia visa edificar, exortar e consolar e este é o papel do profeta como ministro. O profeta pode não ser um grande ensinador, mas tem uma capacidade tremenda de fortalecer e edificar pessoas e grupos da igreja. O profeta é o intercessor da igreja, é o exemplo de busca a Deus.

d)   O Evangelista é o elemento chave no crescimento e expansão do evangelho e da igreja, portanto. Este é o exemplo de Felipe, em Atos 8: 1-12; 21:8. No caso de Felipe, além de diácono, também era evangelista. Ainda que todos os crentes sejam elementos chaves do crescimento da igreja, o evangelista se destaca pela sua capacidade de testemunhar e ganhar almas.

e)   Pastor – esta palavra já nos indica o papel desta pessoa: apascentar. Ele trata todos como ovelhas, pois acredita que todos precisam de cuidados especiais. Vela pelas almas, ou seja, mantem-se preocupado com indivíduos e não com um grupo. Diferente do apóstolo a preocupação com a igreja é voltada para cada um.

f)    Ser mestre, na igreja, não é uma tarefa muito fácil. Na verdade, são escassos. O mestre é o ensinador costumaz. O apóstolo Paulo é um exemplo de mestre. Embora tenha sido apóstolo, começou sendo mestre e profeta (At 13: 1ss). Por esta razão temos importantes ensinos de Paulo na Bíblia. A doutrina estabelecida pelos apóstolos é logo expressa e bem esclarecida pelo mestre (At 11:26).


Conclusão
Chegamos até aqui e concluimos uma coisa importante: explicar o conteúdo do significado dos cinco ministérios requer uma pesquisa longa. A igreja de hoje, se estabeleceu numa visão pastoral e mudar tal visão requer constante reavaliação do que é ensinado. Além da reavaliação, é necessário repetir, repetir, repetir a fim de ser entendido por todos.
Nos próximos estudos vamos nos deter, procurando explicar, em cada lição a missão de cada ministro. Entretanto, além dos cinco ministérios, não podemos esquecer do papel extremamente importante desempenhado pelos anciãos, ou os presbíteros. Vamos dedicar uma lição a este assunto também, além, claro, de estudar sobre os diáconos.